Total de visualizações de página

domingo, 12 de fevereiro de 2017

RESERVE TEMPO PARA O ÓCIO - Por Nicéas Romeo Zanchett


                    Com o advento da sociedade industrial viramos robôs humanos. Passamos a semana toda nos dedicando a trabalhos repetitivos e quando temos algum tempo disponível procuramos preenchê-lo de alguma forma. Essa loucura cotidiana que vivemos faz com que não tenhamos tempo para olharmos nosso interior.  O que fazemos nos dias de folga é uma tentativa de continuar a estressante rotina diária a que estamos acostumados. A solução é ocupar o tempo com lazer ou qualquer outro tipo de atividade que possa nos dar algum prazer imediato. Mas, na verdade, estamos tentando fugir de nos mesmos e por isso evitamos parar e refletir.
                    A semana de trabalho inglesa, no século XIX, previa uma folga na segunda-feira. Mas, ao contrário do que muitos possam pensar, não era para descanso dos trabalhadores. O que os patrões queriam era dar um tempo para que os operários se recuperassem dos abusos com o álcool no domingo. A solução encontrada foi adotar meio expediente no sábado porque assim a bebedeira começaria naquela noite e o domingo seria o dia da ressaca. O resultado foi imediato, pois diminuíram as faltas ao trabalho na segunda feira. 
                    
Panda vermelho
                   Ninguém duvida que o lazer seja importante para a saúde e bem estar, mas os excessos de compromissos nos fins de semana podem gerar mais estresse do que o próprio trabalho. 
                   Precisamos de tempo disponível para não fazer nada, ou seja, precisamos do ócio.  Não é necessário que fiquemos todo o final de semana de pernas para o ar, mas praticarmos o lazer do ócio por algumas horas é importante para melhorar a qualidade de vida e a saúde. 
                   Para quem vive em cidade agitadas como Rio de Janeiro e São Paulo é importante buscar o contato com a natureza. 
                   Hoje é domingo e, neste momento, milhões de pessoas estão aproveitando a folga para divertir-se na internet com jogos eletrônicos, redes sociais, mensagens eletrônicas em comunidades virtuais e outras atividades. Não seria nada ruim se houvesse limites, mas o que vemos são pessoas passarem o dia todo em frente ao computador. Por mais prazeroso que seja, o cansaço é muito estressante e isto causa mais problemas do que benefícios.
                   Muitos trabalham a semana inteira e tiram o fim de semana para praticar exercícios, alguns muito pesados como corrida ou jogos que exigem esfôrço físico. Essas pessoas, mesmo com as coronárias limpas, são fortes candidatos a infarto fulminante. Quem é sedentário de segunda a sexta-feira e resolve correr ou jogar bola no sábado e domingo tem grande chance de ter morte súbita. Quando o lazer ativo toma todo o tempo livre o efeito é nocivo e devastador. 
                  Os momentos de lazer deveriam ser curtidos sem estresse, mas o que vemos são multidões lotando as academias de ginástica, participando de campeonatos de praia, maratonas e inúmeras outras modalidades de competição física. São pessoas angustiadas que enfrentam qualquer trânsito para, em busca do descanso, casar mais. Adoram competir e vencer sempre. Para isso transformam o fim de semana em obrigação, com agenda mais exaustiva que a da semana de trabalho. 
                  Se formos analisar com maior profundidade, iremos ver que quem não consegue parar nos fins de semana tem, na verdade, um grande medo de usar seu tempo disponível para refletir, para um olhar mais demorado em seu interior. 
                   Vivemos numa época altamente competitiva e, tanto no trabalho como no lazer, a criatividade individual fica prejudicada por excessos. É indispensável encontrar um tempo para não fazer nada. O ócio pode ser o remédio que a muito tempo estamos procurando. O importante , no entanto, é que durante esse tempo se evite pensar em qualquer tipo de problema ou obrigação. Uma boa sugestão para os mais agitados é praticar técnica de relaxamento e meditação. Nesse caso, a natureza pode ser o melhor mestre. 
                   O futuro já chegou e o comportamento das pessoas durante a semana deverá mudar radicalmente. É bem provável que a nova sociedade, pós-industrial, traga novos conceitos e horários para o trabalho, o lazer e o ócio. O tempo e espaço, como conhecemos, sofrerão uma desestruturação para permitir nova forma de viver. Os momentos de lazer e o ócio serão distribuídos ao longo da semana. Isto já está acontecendo em muitas empresas ao redor do mundo. Será possível conciliar trabalho, lazer e ócio num único dia. O tempo para não fazer nada é essencial  para a criatividade que é um dos pilares do sucesso profissional. 
                   Precisamos reaprender a valorizar nossos momentos contemplativos, amar mais a natureza e os animais e nos reeducarmos para o tempo livre. Jogar conversa fora com os amigos, fazer amor sem pressa, olhar o por do sol, balançar o corpo numa rede, ouvir o canto dos pássaros, são coisas que ficaram esquecidas. Inúmeras são as possibilidades, é só escolher. 
Nicéas Romeo Zanchett 
NOTA - Escrevi este artigo em 20 de fevereiro de 2011, mas, dada a sua importância para a saúde, resolvi publicá-lo aqui também. 


sábado, 4 de fevereiro de 2017

O PERIGOSO CONSUMO DE CARNE VERMELHA

Carne Vermelha pode causar Diverticulite






















                     Além de cuidar do seu coração, agora você tem mais razão para reduzir o seu consumo de carne vermelha. Um estudo de 26 anos de duração acaba de ser concluído, ligando definitivamente o aumento do consumo de carnes vermelhas a uma condição intestinal chamada diverticulite.
                    O estudo descobriu que homens que comiam seis ou mais porções de carne vermelha por semana eram 58% mais propensos a desenvolver diverticulite do que os homens que comiam de 1 a 2 porções por semana. A diverticulite ocorre quando o revestimento intestinal de uma pessoa protubera para fora de sua posição normal e forma uma pequena bolsa. Esta bolsa, conhecida como um divertículo, acaba inflamando. Embora esse problema possa ocorrer em qualquer local do órgão, eles são mais comuns no intestino grosso. a Diverticulite leva a cerca de 210 mil hospitalizações anualmente só nos Estados Unidos, a um custo superior a 6 bilhões de dólares, dizem os pesquisadores do tema.
                    Os casos de diverticulite são ocasionalmente tratados com antibióticos intravenosos ou cirurgia. Apesar do custo exorbitante e gravidade do problema, as razões para um indivíduo desenvolver diverticulite, ou mesmo o que os torna mais susceptíveis ao seu desenvolvimento, em primeiro lugar, permanecem indescritíveis.
                    Alguns dos fatores de risco para desenvolver diverticulite pode estar relacionados ao tabagismo, a tomar anti-inflamatórios sem esteroides e falta de atividade física.  No que diz respeito aos fatores dietéticos, não comer fibra suficiente parece desempenhar um papel no desenvolvimento de diverticulite, porém ainda não é muito conhecido como outros fatores dietéticos contribuem. 
                    O estudo analisou dados coletados de 46 mil homens. A cada dois anos, eles foram convidados a preencher um questionário sobre seus históricos médicos completos e quaisquer doenças que possam ter tido. A cada quatro anos, eles preencheram um questionário sobre as suas dietas, entregue aos pesquisadores. 
                   No início do estudo, nenhum dos homens em análise foi encontrado com diverticulite,doença inflamatória intestinal ou cancro gastrointestinal. No entanto, cerca de 764 dos participantes tinham desenvolvido diverticulite no final do período de acompanhamento de 26 anos. 
                    Outras observações que a pesquisa fez incluem um aumento da incidência de tabagismo entre os participantes que comeram uma quantidade grande de carne vermelha, bem como um aumento da incidência de fazer menos exercício. Apesar destas descobertas, o estudo não provou uma relação de causa e efeito entre comer mais carne vermelha e desenvolver diverticulite. 

                 Os pesquisadores usaram várias hipóteses testadas para fundamentar suas descobertas, como uma maior ingestão de carne vermelha, ligada a níveis de inflamação crônica, que aumentam o risco de uma pessoa desenvolver a doença. Além disso, a carne vermelha também é conhecida por alterar a composição do microbiana do intestino.
                 Embora a carne processada seja frequentemente associada a problemas de saúde, este estudo considerou a carne vermelha não processada como o principal condutor da ligação entre o elevado consumo de carne vermelha e o desenvolvimento de diverticulite. 
                 A razão para isso pode ser que a carne não processada é geralmente consumida em porções maiores do que a processada, e geralmente é cozida em temperaturas muito elevadas.
                 Atualmente, não está claro se as descobertas de referência também se aplicam às mulheres. 


Pesquisa e postagem : Nicéas Romeo Zanchett 
Fonte: LiveScience.
Imagens: Deposit Photos.

domingo, 20 de março de 2016

ESTRES SEX - ANSIEDADE



"Os dois são sintomas muito comuns em pessoas que vivem rotinas muito agitadas. 
Entenda a diferença entre eles para encontrar a melhor solução." 
.
              Situações comuns e incômodas do dia a dia acontecem em todos os momentos. O trânsito ruim, problemas no trabalho, filas de banco etc. Tudo isso, tem feito com que escutemos duas palavras com mais frequência: ansiedade e estresse. Com a vida moderna esses distúrbios se tornaram os transtornos psicológicos mais habituais, mas como identificá-los, diferenciá-los e trazer uma solução para esses problemas? 
              Para saber mais sobre estresse e ansiedade, a Ponto de Encontro conversou com a Dra. Cíntia Seabra, psicóloga clínica e master coach, de São Paulo (SP). E a especialista em recursos humanos, Elizabethe Biscarra. 
SINTOMA DOS ANSIOSOS
              Segundo Elizabethe, a ansiedade é uma sensação de receio, medo, apreensão, que evidencia um perigo e mau futuro carregado de angústia. Geralmente, por consequência desse medo desmedido, o indivíduo apresenta sintomas físicos como: tremores, inquietação, taquicardia, sudorese e outros. 
SINAIS DO ESTRESSE 
              Já o estresse é uma agressão por agentes de qualquer natureza, ou seja, pressão ou efeito do ambiente externo que reprime, exercendo uma força que nos leva a reagir de diferentes maneiras, seja por pressão familiar, do trabalho ou qualquer outra que atrapalha nossa clareza de pensamento e harmonia mental, podendo evoluir para sintomas físicos. 
VIVENDO MELHOR
               Normalmente, pessoas que vivem em grandes cidades são mais propensas a desenvolverem essas condições, além de indivíduos que são atarefados e que seguem uma rotina intensa. Porém, é possível eliminar o problema de diferentes formas.
               Tanto a ansiedade quanto o estresse pode ser tratado através de medicamentos e acompanhamento psicológico, alguns casos são direcionados para o médico psiquiatra. Entretanto,Elizabethe lembra que terapia, relaxamento, meditação, reflexão, oração, harmonização física e mental são opções para quem busca o autocontrole. 
ALIMENTOS ALIADOS
                Além disso, alimentos ricos em triptofano, substância responsável pela promoção da sensação de bem-estar, são ótimos no combate à ansiedade. Inclua na sua alimentação iogurte desnatado, queijo branco, nozes, banana, arros batata, feijão, lentilha, castanhas, abacate, soja e derivados. Carboidratos como pães e cereais integrais, biscoitos integrais, massas integrais, arros integral e selvagem, legumes, frutas e mel, também ajudam. 
SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS
                O estresse e ansiedade não são sinônimos, nem coisas opostas. "São, sim, sintomas semelhantes, com agentes desencadeadores diversos, com fundos  específicos, dependendo de pessoa para pessoa, porque somos seres tão especiais e ao mesmo tempo tão complexos, que em diversas situações fica difícil,até mesmo, a compreensão de causas e reações que nos são apresentadas", explica Elizabethe. 
                "Apesar de apresentarem mudanças fisiológicas parecidas, como as palmas das mãos suadas e o aumento do ritmo do batimento cardíaco, eles não são a mesma coisa. Porém, normalmente, quando um é resolvido, o outro também desaparece", complementa Dra Cíntia. 
                Tanto a ansiedade como o estresse é natural do organismo às situações de medo, preocupação, irritação, cansaço e nervosismo, porém um ou outro perdura por muito tempo e interfere negativamente no dia a dia, é recomendável que o paciente procure ajuda de um psicólogo ou médico, para saber o que pode estar causando o problema. A confusão entre os dois pode acontecer, justamente, porque o estresse pode ser causado pela ansiedade, afinal, é um fator culminante culminante para que a pessoa se sinta estressada, quando se apercebe sobrecarregada, por exemplo. "É mais difícil que o contrário aconteça, já que a ansiedade é um sentimento mais fluido que o estresse, podendo aparecer em vários momentos do dia mais facilmente que o estresse", fala Dra. Cíntia. 

MUDE DE ATITUDE


               1 -  Faça um alongamento durante a manhã para relaxar o corpo e facilitar a entrada do ar nos pulmões. 
              2 -   Durante o trabalho tire alguns períodos para pequenos alongamentos e pausas para relaxar.
              3 -  Não sofra por antecipação.
              4 -  Mantenha a mente calma para encontrar soluções para os problemas que tem que resolver. 
.
Autora do artigo: Ana Carolina Contri.
Pesquisa e postagem: Nicéas Romeo Zanchett 




Saiba por que as emoções influenciam na saúde do seu coração!

ELIAS KNOBEL 
Coração e emoção - o último livro. 



Nicéas Romeo Zanchett

Dr. Elias Knobel - Festa de Lançamento do Livro "A Vida Por Um Fio e Por...

A VIDA POR UM FIO 
Dr. Elias Knobel.




Nicéas Romeo Zanchett